Expressões usadas por gaudérios — “aqueles que acompanham qualquer pessoa, abandonando-a logo para seguir outra”, segundo o Aurélio — que habitam o RS.

Observe que estas são apenas algumas expressões compartilhadas por nossos usuários. Além disso, a língua é viva e seria, portanto, impossível registrar todas as manifestações populares. Caso você queria contribuir com a lista, entre em contato conosco.

A

Afiado como navalha de barbeiro caprichoso.

Agarrado como carrapato em culhão de touro.

Apertado como rato em guampa.

Assanhada como solteirona em festa de casamento.

Atirado como interesse de viúva.

Alegre como lambari de sanga.

Alegre que nem paisano a meia-guampa.

Amarga como erva caúna.

Aumentar como barriga de prenha.

Atrapalhado que nem sapo em cancha de bocha.

Atirado que nem lagarto.

B

Babava como boi com aftosa.

Baixo como vôo de marreca choca.

Baixo como tamborete de china.

Baixo como umbigo de cobra.

Baixo como barriga de sapo.

Baixinho só presta prá dar pum em festa.

Bater mais que brigadiano na mulher.

Brilhar como ouro de libra.

Bonita que nem laranja de amostra.

Bom como faca achada.

Bom como namoro no começo.

Bueno como namoro no começo.

Buliçoso que nem mico de viúva.

Buliçoso como gato de moça velha.

C

Cair bem como chuva em roça de milho.

Calmo que nem água de poço.

Cara amarrada como pacote de despacho.

Causar alvoroço que nem mata-mosquito em convento.

Cheio como corvo em carniça de vaca atolada.

Cheio como penico em dia de baile.

Cheio como barril de chopp em festa de crente.

Cheio como bolsa de china.

Cheio como mala de contrabandista.

Cheirando bem como cangote de noiva.

Chiar como uma locomotiva no cio.

Cobiçada como anca de viúva nova e bonita.

Comer mais que remorso.

Como tosa de porco: muito grito e pouca lã.

Contente como cusco de cozinheira.

Contrariado como gato a cabresto.

Coxuda como leitoa no engorde.

D

Dá mais que pereba em moleque.

De boca aberta que nem burro que comeu urtiga.

Devagar como enterro de a pé.

Devagar como burro de pasteiro.

Desconfiado como cego que tem amante.

Devagarzito como enterro de viúva rica.

Dinheiro na mão de pobre é como cuspe em ferro quente.

Dormir atirado que nem lagarto.

Dormir que nem sapo morto estirado nos arreios.

E

Empacado como burro de mascate.

Encardido como peleia de caudilho.

Encordoado como teta de porca.

Enfeitado como bidê de china.

Enfeitado como carroça de cigano.

Enfeitado como quarto de china.

Enfeitado como santo milagroso.

Enfeitado como guaiaca de gringo.

Enfeitado como mula de mascate

Engraçado como gorda botando as calça.

Engraçado que nem telefone de açougueiro.

Escasso como passarinho em zona de gringo.

Esfarrapado que nem poncho de gaudério.

Espalhar-se como pó de mangueira em pé de vento.

Esparramado como dedo de pé que nunca entrou em bota.

Esparramados que pé de gringo.

Esperto que nem gringo de venda.

Extraviado que nem chinelo de bêbado.

F

Faceiro como pica-pau em tronqueira.

Faceiro como mosca em rolha de xarope.

Feia como mulher de cego.

Feliz que nem lambari de sanga.

Fino e comprido como pio de pinto.

Firme que nem prego em polenta.

Firme que nem palanque em banhado.

Firme que nem prego em polenta.

Firme como beliscão de ganso.

Folgada como cama de viúva.

Frouxo como peido em bombacha.

Frio de empedrar água do poço.

Furioso como gato embretado em cano de bota.

G

Ganiçando como cusco que levou água fervendo pelo lombo.

Gordo e lustroso como gato de bolicheiro.

Gosmento como cuspida de bêbado.

Grosso como rolha pra poço.

Grudado como bosta em tamanco.

J

Judiado como filhote de passarinho em mão de piá.

L

Louco como galinha agarrada pelo rabo.

M

Mais à vontade que bugio em mato de boa fruta.

Mais alto que cavalo de oficial.

Mais afiada que língua de sogra.

Mais afiada que navalha de barbeiro.

Mais amontoado que uva em cacho.

Mais a mostra que bunda de índio.

Mais angustiado que barata de ponta-cabeça.

Mais apertado que nó de soga em dia de chuva.

Mais apressado que cavalo de carteiro.

Mais arisca do que china que não quer dar.

Mais assustado que véia em canoa.

Mais atirado pra trás que pica-pau em tronqueira.

Mais atirado que alpargata em cancha de bocha.

Mais atrasado que bola de porco.

Mais baixo que voo de marreca choca.

Mais batido que cepo de 48.

Mais beijado que anel de bispo.

Mais bonita que laranja de amostra.

Mais branco que perna de freira.

Mais caro que argentina nova na zona.

Mais perdido que cego em tiroteio.

Mais chato que chinelo de gordo.

Mais ciumenta que mulher de tenente.

Mais complicado que receita de creme Assis Brasil.

Mais comprido que esperança de pobre.

Mais comprido que suspiro em velório.

Mais conhecido que a reza do padre-nosso.

Mais conhecido que parteira de campanha.

Mais comum que gaúcho dizer “bah”.

Mais curto que coice de porco.

Mais delgado que cachaço emprestado.

Mais demorado que almoço de Natal.

Mais demorado que enterro de rico.

Mais desconfiado que cego que tem amante.

Mais difícil que nadar de poncho.

Mais duro que pau de preso.

Mais eficiente que japonês na roça.

Mais encolhido que tripa grossa na brasa.

Mais enfeitado que burro de cigano em festa.

Mais enfiado que cueca em bunda de gordo.

Mais engraxado que telefone de açougueiro.

Mais enrolado que linguiça de venda.

Mais entravado que carteira em bolso de sovina.

Mais escandaloso que relincho de burro chorro.

Mais esticado que corda de violino.

Mais faceiro que gordo de camiseta.

Mais faceiro que gordo de camisa nova.

Mais faceiro que guri de bombacha nova.

Mais fácil que fazer falar um rádio.

Mais fechado que baú de solteirona.

Mais fedorento que arroto de corvo.

Mais feio que resbalão de porco em lajota.

Mais feio que indigestão de torresmo.

Mais feio que tombo com a mão no bolso.

Mais feio que briga de foice no escuro.

Mais fino que assobio de papudo.

Mais firme que catarro em parede.

Mais forte que peido de burro atolado.

Mais folgado que volante de carreta agrícola.

Mais frio que fucinho de cachorro.

Mais gelado que bunda de pinguim.

Mais gostoso que beijo de prima.

Mais grosso que cintura de sapo.

Mais grosso que rolha de poço.

Mais grosso que parafuso de patrola.

Mais importante que o irmão da rapariga do cabo.

Mais inútil que buzina em avião.

Mais inútil que mijar em incêndio.

Mais lerdo que tartaruga manca.

Mais ligado que rádio de preso.

Mais ligeiro que tainha de açude.

Mais linda que camisola de noiva.

Mais liso que suvaco de santo.

Mais magro que guri com solitária.

Mais magro que sombra de prego.

Mais medroso que cascudo atravessando galinheiro.

Mais metido que piolho em costura.

Mais nervoso que anão em comício.

Mais nojento que mocotó de ontem.

Mais perdido que surdo em bingo.

Mais perfumado que mão de barbeiro.

Mais perdido que cachorro caído de mudança.

Mais pesado que pastel de batata.

Mais prestimosa que mãe de noiva.

Mais rodada que pratinho de microondas.

Mais rodada que turbina de hidrelétrica.

Mais quieto que guri cagado.

Mais quente que frigideira sem cabo.

Mais sério que guri mijado.

Mais serio que criança cagada.

Mais sem graça que dançar com a irmã em festa.

Mais triste que último dia de rodeio.

Mais usado que pronome oblíquo em conversa de professor.

Mais vaidoso que guri em chineiro.

Mais velho que mijar em arco.

Mais verde que guspe do primeiro gole do mate.

N

Nervoso como potro com mosca no ouvido.
Nervoso como gato em dia de faxina.

P

Parado que nem água de poço.

Pelado que nem sovaco de perneta.

Pior que a filha casar com nordestino.

Q

Que nem carro de funebreiro: só leva.

Que nem serra elétrica, não pode ver pau de pé.

Quente como frigideira sem cabo.

Quem revela a fonte é água mineral.

R

Rebola mais que minhoca nas cinzas.

Reclamando mais que vereador de oposição.

S

Sabido como sorro velho.

Seca como tiro de 12 cano-serrado.

Sério que nem defunto.

Sério como guri que examina galinha para ver se tem ovo.

Sofrendo como joelho de freira na Semana Santa.

Sofrer como joelho de freira na Semana Santa.

Sólito como galinha em gaiola de engorde.

Sutil como gato que vai pegar passarinho.

T

Tradicional como embalagem de Maisena.
Tradicional como fórmula de Minâncora.

Tranquilo e sereno que nem baile de moreno.

Tranquilo como capincho em taipa de açude.

V

Virar-se mais que minhoca na cinza.

Vivo como cavalo de contrabandista.

Avance mais rápido com um professor

Aprenda idiomas online com um professor particular adequado ao seu orçamento e à sua agenda!

Ver todos os professores →
Compartilhar