Qual a diferença entre iídiche e hebraico?

Qual a diferença entre iídiche e hebraico?

O iídiche é uma mistura de várias línguas, entre elas o hebraico, dialetos do alemão medieval e línguas eslavas. Ambos são falados por judeus. O hebraico, que surgiu entre 1.5000 a.C. e 2.000 a.C. na região de Canaã, atual Israel, é uma língua oriental e semítica, assim como o aramaico e o árabe.

Na escrita, há apenas consoantes, e os sons de vogal são marcados por sinais em cima das letras. É uma língua que tem muita lógica e seus verbos são constituídos por três letras, que podem ser identificadas nas palavras, revelando seu significado.

Já o iídiche apareceu por volta dos séculos 10 e 11, perto da fronteira entre França e Alemanha. O idioma foi criado para fazer segredo. Ele surgiu como um dialeto do alemão medieval a partir da necessidade dos judeus de falarem entre si sem que os cristãos os compreendessem.

O termo “iídiche”, abreviatura de Yidish Taitsh (“Alemão judeu”), não se tornou a designação usada com mais frequência na literatura até ao século XVIII. No final do século XIX e no século XX, a língua era mais comumente chamada de “judaica”, especialmente em contextos não judeus, mas “iídiche” é novamente a designação mais comum hoje.

Diferentemente de sua língua-mãe, o iídiche é uma língua ocidental que utiliza a grafia hebraica, com o acréscimo de vogais, e que sofreu influência dos dialetos germânicos medievais – a base do ídiche. É por isso que muitos o conhecem como “judeu-alemão”.

Ela se tornou uma das línguas mais difundidas do mundo, aparecendo na maioria dos países com população judia no século XIX. Junto com o hebraico e o aramaico, é uma das três principais línguas literárias da história judaica.

Compilação linguística

O idioma é fruto de uma compilação linguística diversificada:

  • O germânico (dominante do ponto de vista fonético) derivado das variedades urbanas medievais do alto-alemão médio falado nas fronteiras;
  • Dialetos modernos, como o eslavo, do polonês, ucraniano, bielorrusso e russo;
  • O semita, derivado do hebraico e do aramaico pós-clássicos, cujo alfabeto é usado para representação fonética e escrita.

De forma simplificada, pode-se dizer que o iídiche é o idioma germânico escrito com caracteres do alfabeto hebraico moderno e em sentido oposto ao da escrita ocidental (ou seja, escrita e lida da direita para a esquerda). Na prática, os três componentes contribuíram em maior ou menor grau na fonologia, morfologia, sintaxe e semântica da língua.

A diáspora dos judeus para o resto da Europa durante o século 13 – principalmente para o Leste do continente – e a gripe espanhola fizeram o iídiche ganhar influências de outros idiomas. Ele é uma língua de fusão, constituída por cerca de 35% de elementos germânicos, 30% de componentes hebraicos, 30% de elementos eslavos e 5% de elementos internacionais.

Atualmente, quem fala o idioma são as gerações mais velhas e aqueles que têm interesse acadêmico.


Fontes: Superinteressante e Wikipedia