Este artigo apresenta uma fascinante exploração do português como língua doadora no léxico de várias línguas ao redor do mundo, evidenciando a influência global de Portugal e dos portugueses através dos séculos. O intercâmbio linguístico reflete não apenas momentos de encontro e comércio, mas também a expansão marítima, o colonialismo e as trocas culturais intensas entre diferentes povos.

As palavras compartilhadas entre o português e outras línguas como o inglês, espanhol, francês, japonês, indonésio/malaio, suaíli e hindi demonstram o alcance da navegação portuguesa e a sua importância na primeira fase da globalização. Desde termos relacionados à fauna, como “zebra” e “albatroz”, até conceitos culturais e objetos cotidianos como “fetish” (feitiço) e “tempura”, a influência portuguesa é visível em diversas esferas da vida.

Interessante notar é como algumas palavras sofreram adaptações fonéticas e semânticas ao serem incorporadas em outras línguas, refletindo o processo de apropriação e integração cultural. A adoção de palavras portuguesas por outras línguas também sublinha a interconexão histórica entre diferentes regiões do mundo, especialmente durante os períodos de exploração e colonização.

Palavras usadas no mundo todo

Albino -Indivíduo de cor totalmente branca devido a uma mutação genética. Usada pela primeira vez pelos portugueses no século XVIII.

Albatroz – Nome de ave. Usada pela primeira vez pelos portugueses no século XVII.

Banana – Nome de fruto usado pela primeira vez pelos portugueses no século 16.

Cachalote -Espécie de baleia. Usado pela primeira vez pelos portugueses no século XVI.

Cobra – Origem no século XVII, quando os portugueses utilizaram pela primeira vez o termo “Cobra de capello”.

Comando – Origem no século XVIII e designava as milícias que combatiam entre Angola, Namíbia e África do Sul.

Mosquito – Tipo de inseto cuja palavra tem origem no diminutivo português de “mosca”

Zebran -Animal semelhante ao cavalo. Nome usado pela primeira vez pelos portugueses em 1600.

No inglês

Não foi só o inglês que emprestou (e empresta) termos para nossa língua, o português também já emprestou dezenas de termos para a língua inglesa.

O intercâmbio linguístico entre o português e o inglês é um fascinante reflexo da interação cultural e histórica entre os falantes dessas línguas. Apesar de o inglês ter incorporado um vasto leque de palavras de diversos idiomas devido à expansão britânica e à sua natureza absorvente, o português também deixou a sua marca na língua de Shakespeare. Vamos explorar algumas dessas contribuições. Aqui estão algumas palavras que têm origem no português:

Zebra – A palavra “zebra” é um dos exemplos de empréstimo linguístico. Os exploradores portugueses foram pioneiros na exploração da África, e ao se depararem com este animal exótico, adotaram o termo que, posteriormente, foi assimilado pelo inglês. A origem exata da palavra é discutível, mas sua entrada na língua inglesa é claramente atribuída ao contato com o português.

Mosquito – “Mosquito”, que literalmente se traduz como “pequena mosca” em português, é um exemplo de como a nomenclatura para algo tão universal quanto um inseto pode viajar através das culturas. A adoção desta palavra pelo inglês pode ser vista como uma evidência da influência portuguesa e espanhola no mundo, particularmente nas regiões exploradas durante os séculos XV e XVI.

Albatross – Outro termo emprestado é “albatross” (albatroz em português), refletindo o intercâmbio de palavras. A origem do termo em português e sua adoção pelo inglês sublinham a importância dos descobrimentos marítimos portugueses na expansão do vocabulário relacionado ao mar.

Fetish – A palavra “fetish”, derivada do português “feitiço”, é um exemplo peculiar de como termos relacionados a crenças e práticas culturais específicas podem ser adotados e adaptados por outras línguas. Sua transição do contexto português para o inglês, e posteriormente sua adaptação pelos franceses para “fétiche”, demonstra a complexidade das rotas de empréstimo linguístico.

Auto-da-fé – Utilizado às vezes tal como está em inglês, refere-se especificamente aos atos de penitência e execução associados à Inquisição. A preservação da expressão original em português no inglês evidencia a especificidade e a importância histórica desses eventos, transcendendo as barreiras linguísticas.

Embarrass – Embora a conexão entre “embarrass” e o português “embaraçar” seja frequentemente citada, é importante notar que essa relação é mais complexa e pode envolver múltiplas línguas românicas, incluindo o francês, de onde o inglês possivelmente adotou diretamente a palavra.

Verandah – Finalmente, “verandah” é outro exemplo de como a língua inglesa absorveu termos portugueses, adaptando “varanda” para designar uma característica arquitetônica tão comum nas regiões tropicais exploradas pelos portugueses.

No espanhol

Confira algumas palavras de origem no português que você encontra na língua espanhola:

Caramelo – com origem no português “caramelo”, e por sua vez no latim calamellus (calamŭlus) diminutivo de calamus (calămu), “cana”, “confeito de açúcar em ponto”. Também temos a palavra latina cannamellis, “cana de mel”. E de calamus também deriva calamar.

Alecrín – do português “alecrim”, que por sua vez vem do árabe al-iklit (aliklíl), abreviação de iklíl almalík (“coroa do rei”) e este do árabe-clássico iklīl (“coroa”). Também chamado “rosmaninho”, do latim ros marinus, “orvalho do mar”. Em inglês rosmary pelo mesmo motivo.

Mandarín – essa palavra provém da palavra portuguesa “mandarim”, que por sua vez se origina no hindi mantri e este do sânscrito mantrin, que significa “ministro” ou “conselheiro”.

Barroco – A palavra “barroco” refere-se a um estilo artístico e arquitetônico que surgiu na Europa no final do século XVI, caracterizado pela sua complexidade e exuberância. A origem da palavra é um tanto debatida, mas uma teoria sugere que ela derive do Português “barroco”, que era usado para descrever uma pérola de forma irregular. A palavra foi adotada em várias línguas para descrever o estilo artístico que, de certa forma, refletia a complexidade e a singularidade dessas pérolas “imperfeitas”. Assim, “barroco” é um termo que, embora compartilhado por português e espanhol, tem uma origem que reflete mais uma característica cultural comum do que uma transferência direta de uma língua para outra.

No francês

A língua francesa não é exceção e também possui algumas palavras de origem portuguesa. Curiosamente, algumas delas foram exportadas posteriormente da França para outros países, integrando outros idiomas.

Albatros – É um termo em francês para o grande pássaro marinho, o albatroz. Como mencionado anteriormente, a palavra “albatross” em inglês e “albatros” em francês são emprestadas do português “albatroz”

Bambou – Os portugueses, como alguns dos primeiros europeus a chegar ao Oriente, desempenharam um papel na introdução de termos relacionados ao bambu nas línguas europeias.

Caste – Significando casta em francês, tem uma história etimológica que remonta ao português “casta”, significando linhagem ou raça pura. A palavra foi adotada pelo português durante o período da exploração e do domínio colonial na Índia, onde o sistema de castas era e é uma estrutura social importante. Esta é um exemplo claro de uma palavra de origem portuguesa que encontrou seu caminho no francês, refletindo o impacto colonial português.

Fétiche – Vem do português “feitiço”, que significa magia ou encanto. A palavra evoluiu no contexto do contato entre os portugueses e os povos africanos, onde objetos físicos eram frequentemente associados a práticas religiosas ou espirituais. “Fétiche” é outro exemplo de uma palavra que, através do colonialismo e do comércio, viajou do português para o francês, e depois para outras línguas, levando consigo um significado ampliado que inclui obsessão ou veneração excessiva.

No japonês

As palavras portuguesas chegaram muito longe, como já sabemos. Os japoneses estão do outro lado do mundo, mas usam algumas palavras que surgiram desta nossa querida língua.

Tempura (てんぷら) Esta técnica de fritura e o próprio termo foram introduzidos no Japão pelos portugueses no século XVI. A palavra “tempura” pode derivar de “tempero” ou da palavra latina “tempora”, referindo-se ao período de Quaresma em que os cristãos comiam peixe e vegetais.

イギリス・英吉利 (igirisu) – Essa palavra quer dizer “inglês” e ainda “Reino Unido”.

ビードロ (biidoro) – Também levamos aos japoneses o nome do “vidro”.

フラスコ (furasuko) – Talvez por ser feito de vidro, também é de origem portuguesa a palavra que significa “frasco”.

ボタン・釦・鈕 (botan) -Continuando ainda com objetos, temos o nosso “botão” a transformar-se no “botão japonês”.

木瓜 (marumero) – Olhando agora para os vegetais, quem diria que o “marmelo” japonês é de origem portuguesa.

パン・麺麭・麪包 (pan) – E continuando com os alimentos, temos o alimento por excelência: o “pão”.

パンドロ (pandoro) – Os japoneses também têm uma palavra para “pão-de-ló” e é portuguesa. O som leva-nos quase a pensar que, afinal, dizemos “pão de ouro”.

Confira outras:

  • Arukoru (アルコール) – Álcool
  • Bateren (破天連) – Padre
  • Bidama (ビー玉) – Berlinde
  • Birodo (ビロード) – Veludo
  • Bouro (ボーロ) – Bolo
  • Buranko (ブランコ) – Balanço
  • Iruman (イルマン) – Irmão
  • Jouro (じょうろ) – Jarro
  • Kapitan (甲比丹) – Capitão
  • Kappa (合羽) – Capa
  • Karuta ( かるた) – Carta
  • Kirisuto (キリスト) – Cristo
  • Koppu (コップ) – Copo
  • Kurusu (クルス) – Cruz
  • Rozario (ロザリオ) – Rosário
  • Sabato (サバト) – Sábado
  • Shabon (シャボン) – Sabão
  • Shoro (ショーロ) – Choro
  • Shurasuko (シュラスコ) – Churrasco
  • Tabako (煙草) – Tabaco

No Indonésio e Malaio

Sabun – A palavra para “sabão” em indonésio e malaio vem do português “sabão”. O comércio entre portugueses e as ilhas indonésias e a Malásia durante os séculos XVI e XVII facilitou a introdução de várias palavras portuguesas nesses idiomas.

No Swahili

Mesa – Em Swahili, uma língua falada em partes da África Oriental, “mesa” significa “mesa” (uma palavra para móvel), assim como em português. Este é um dos vários exemplos do impacto da exploração portuguesa na costa leste africana.

No Hindi

Almari – Esta palavra, que significa “armário” em hindi, é derivada do português “armário”. O português teve influência na Índia, especialmente em Goa, Damão e Diu, onde foi a língua oficial até meados do século XX.


Fontes: Etimologías de Chile, RAE.es

Avance mais rápido com um professor

Aprenda idiomas online com um professor particular adequado ao seu orçamento e à sua agenda!

Ver todos os professores →
Compartilhar