Google prepara IA para ensinar idiomas através das buscas

Google prepara IA para ensinar idiomas através das buscas

Google pode lançar ferramenta para ensinar idiomas com auxílio de inteligência artificial; recurso deve chegar ainda neste ano

O Google pode estrear um novo recurso para ensinar idiomas. A companhia está preparando uma função baseada em inteligência artificial (IA) que deve utilizar o serviço de buscas e outras plataformas, como YouTube e Assistente, para que os usuários possam aprender novas línguas. A ferramenta tende a ser lançada ainda neste ano.

Os detalhes foram adiantados pelo The Information. O site revelou que a iniciativa da gigante das buscas é conhecida internamente como “Tivoli”. Caso as expectativas se tornem realidade, esta pode ser uma resposta do Google a apps como o Duolingo, que ensina idiomas pelo celular, computador e tablet.

Pessoas a par do assunto informaram que a função está em desenvolvimento há dois anos. A plataforma foi elaborada com o modelo de conversação neural Meena, que depois evoluiu para o LaMDA. A tecnologia, que permite ao usuário conversar com um assistente virtual com a naturalidade de uma pessoa real, marcou sua estreia em maio.

Google prepara função para ensinar idiomas com IA

Em primeiro momento, o Google aplicaria a novidade em seu buscador, para ser trabalhado com texto. Mas a companhia também pensa em levá-lo ao YouTube e Google Assistente. No caso da plataforma de streaming, por exemplo, o sistema poderia criar questionários para que os usuários pratiquem depois de assistir a um vídeo.

Outra preocupação da empresa tem a ver com os impactos da ferramenta. Segundo uma fonte que não teve a identidade revelada, a ferramenta é um “caso de uso prático, mas de baixo risco”. A declaração tem relação com as consequências no processo de aprendizagem de uma pessoa caso algum erro aconteça no meio do caminho.

A expectativa é de que o recurso seja lançado até o fim do ano. Mas ainda não se sabe em quais países a novidade estará presente. Os idiomas que serão suportados inicialmente pela nova solução do Google também são um mistério.


Com informações: Android Authority e XDA-Developers via Tecnoblog