10 coisas que você precisa saber para aprender idiomas
10 dicas para aprender idiomas

10 coisas que você precisa saber para aprender idiomas

Está pensando em aprender um novo idioma? Saiba que nunca é tarde demais para começar e especialistas compartilham as melhores dicas para você começar.

Faça metas realistas e específicas

Você decidiu aprender outro idioma. Este foi o primeiro passo, mas e agora? A primeira coisa que você deve perguntar a si mesmo é: o que você deseja alcançar e quando? Donavan Whyte, vice-presidente da Rosetta Stone afirma: “O aprendizado de idiomas é melhor quando dividido em metas gerenciáveis e que podem ser alcançadas em alguns meses. Isso é muito mais motivador e realista”.

Você pode se sentir extremamente otimista no começo, mas tentar ser fluente não é necessariamente a melhor ideia. Phil McGowan, diretor da Verbmaps, recomenda tornar o objetivo mais específico: “Por que não estabelecer como meta ser capaz de ler um artigo de jornal no idioma sem ter que procurar por nenhuma palavra no dicionário?”.

Lembre-se por que você está aprendendo

Pode parecer óbvio, mas reconhecer exatamente por que você quer aprender um idioma é muito importante. Alex Rawlings, professor de idiomas e poliglota diz: “A motivação geralmente é a primeira coisa a desaparecer, especialmente entre os alunos que estão aprendendo sozinhos”.

Para manter-se motivado, ele sugere escrever 10 razões pelos quais você está aprendendo um idioma e manter junto ao seu material de estudo: “Eu recorro a eles em momentos em que me sinto desmotivado”.

Concentre-se no que você deseja aprende

Muitas vezes, as discussões sobre métodos de aprendizado de idiomas se transformam num debate entre “métodos tradicionais” e uso de “novas tecnologias”. Para Aaron Ralby, diretor da Linguisticator, esse debate perde o foco: “A questão não é tanto sobre online versus offline ou aplicativos versus livros. Em vez disso, deve ser como podemos reunir os elementos necessários do idioma para um objetivo específico, apresentá-los de maneira amigável e fornecer meios para que os alunos entendam esses elementos.”

Ao escolher um método ou tecnologia, pense no que você pode extrair de melhor desde. “Em última análise”, diz ele, “o aprendizado ocorre dentro de você e não fora, independentemente de ser um computador, um livro, aplicativo ou um professor à sua frente”.

Leia por prazer

Para muitos especialistas, a leitura não foi apenas um dos elementos-chave para progredir, mas um dos aspectos mais gratificantes da experiência do aprendizado de uma nova língua. Alex Rawlings explica que ler por prazer “expõe você a todos os tipos de vocabulário que você não encontrará na vida cotidiana e normaliza estruturas gramaticais confusas e complicadas. O primeiro livro que você termina em uma língua estrangeira é uma conquista monumental que você vai lembrar por muito tempo”.

Aprenda com contexto

Memorizar listas de palavras e vocabulários pode ser desafiador, para não mencionar potencialmente maçante. Ed Cooke, cofundador e executivo-chefe da Memrise, acredita que “a associação é a chave para reter novas palavras: para que o conteúdo seja sempre relevante e se conecte à experiência de fundo”.

Idade é apenas um número

Você é um adulto monolíngue: a oportunidade de aprender um novo idioma já passou? Ralby argumenta que “um mito frequente é o de que é mais difícil aprender um idioma quando adulto”. Adultos e crianças podem aprender de maneiras diferentes, mas isso não deve impedi-lo de se comprometer a aprender outro idioma. “As línguas são simultaneamente orgânicas e sistemáticas. Quando crianças, aprendemos línguas de forma orgânica e instintiva; como adultos, podemos aprendê-los sistematicamente”.

Se você ainda não está convencido disso, Ralby sugere inspirar-se nos antigos filólogos e pensadores que “aprenderam dezenas de idiomas a níveis enciclopédicos quando adultos”.

Revise seu idioma nativo

Falar sua primeira língua, a nativa, pode ser uma algo natural para você, mas isso não significa necessariamente que você a entenda bem. Kerstin Hammes, editora do Fluent Language Blog, acredita que você não pode fazer um bom progresso em um segundo idioma até que você entenda o seu próprio idioma. “Acho que entender sua língua nativa e geralmente como a língua funciona é essencial antes de você se lançar em um monte de frases em outros idiomas”.

Não subestime a importância da tradução

Diferentes abordagens podem ser necessárias em diferentes estágios do processo de aprendizagem. Uma vez que você atingiu um certo nível de proficiência e pode se expressar com bastante precisão, Rebecca Braun, professora de estudos da língua alemã na Universidade de Lancaster, diz que é típico sentir uma desaceleração no progresso. “Tradução”, diz ela, “é um exercício importante para ajudá-lo a superar um certo platô que você alcançará como aprendiz de idioma“.

Cuidado com a fluência

Hammes diz que não só é difícil definir o que é fluência, mas como objetivo é “muito maior do que merece ser. O aprendizado de idiomas nunca para pois é um aprendizado de cultura, crescimento pessoal e aprimoramento sem fim. Acredito que é aí que os alunos erram”.

Vá para onde o idioma é falado

Pode não ser uma opção para todos, mas Braun nos lembra que “se você leva a sério o aprendizado do idioma e o prazer dessa experiência, precisa ir para onde esse idioma é falado”.

Viajar e morar no exterior podem complementar o aprendizado em sala de aula: “Os livros podem ser a maneira mais fácil de garantir que você se exponha ao idioma em casa, mas as pessoas e a cultura vão superá-los quando você chegar ao país onde sua língua é falada”.

Leia a discussão completa aqui (em inglês).


Via The Guardian – Learning a language – 10 things you need to know (em inglês)

HR idiomas