O albanês é uma fascinante língua originária do sul da Europa. É língua oficial da Albânia e também do Kosovo, além de ser uma língua minoritária em várias outras regiões nos Bálcãs.

A seguir alguns dos fatos mais interessantes sobre esta bela e curiosa língua, sem dúvida alguns destes serão o suficiente para você querer aprender pelo menos um pouco de albanês.

Diáspora albanesa

O termo diáspora (em grego clássico: διασπορά, “dispersão”) em termos gerais define o deslocamento ou dispersão, normalmente forçado ou incentivado, de grandes massas populacionais originárias de uma zona para várias áreas distintas.

A diáspora albanesa — que é o total de albaneses fora do seu país natal — é muito maior do que o número de pessoas que vivem dentro da Albânia. Embora a Albânia tenha uma população de pouco mais de 3 milhões de pessoas, estima-se que haja cerca de 7 milhões de falantes de sua língua espalhados pelo planeta.

Língua isolada

Até onde se tem conhecimento, o albanês ocupa um ramo isolado na árvore de línguas indo-europeias, o que significa que não tem parentes próximos. Antes de ser identificado como pertencente a um ramo solitário na árvore indo-europeia, o albanês foi considerado parte do ramo germânico ou do ramo das línguas balto-eslávicas.

Fazem parte do grupo de línguas balto-eslávicas as línguas bálticas (lituano, letão) e as línguas eslavas (polonês, tcheco) na grande família das línguas indo-europeias.

História incerta

Ainda hoje, não é totalmente claro como e a partir de qual língua o albanês evoluiu. Não há registros de línguas próximas sobreviventes e até mesmo seus ancestrais são ainda incertos. Acredita-se que ela seja descendente de Ilíria, mas não há evidências suficientes para confirmar isso. O fato de poucos exemplos de línguas ilírias terem sobrevivido até hoje também não ajuda.

Os idiomas ilírios formavam um grupo de línguas indo-europeias faladas na parte ocidental dos Bálcãs pelos povos conhecidos na Antiguidade e posteriormente como ilírios: ardieus, dálmatas, panônios, autariatas e taulâncios.

Dois dialetos principais

Embora existam vários dialetos na língua albanesa, eles podem ser divididos em dois grupos principais: Tosk e Gheg. E suas fronteiras são facilmente definidas ao longo de uma divisão norte-sul do país, Tosk é falado no sul da Albânia e regiões próximas, e o Gheg nas regiões do norte.

A fronteira entre os dois dialetos é o rio Shkumbin. Nas margens do rio, existem outros vários dialetos falados que atuam como uma ponte entre os dois grupos, tornando a linguística ainda mais complexa.

Várias versões oficiais

Antes do regime comunista assumir a Albânia, Tosk não era considerado a língua oficial. Em vez disso, no início do século XX, a Comissão Literária Albanesa recomendou o uso do subdialeto Elbasan, que possui características de ambos os grupos principais como a versão oficial. No entanto, após a Segunda Guerra Mundial, o regime comunista escolheu Tosk como o novo albanês-padrão.

Tosk e o albanês-padrão

A versão padronizada do albanês pertence ao grupo Tosk. Embora aspectos dos dialetos Gheg tenham sido incorporados, o albanês oficial é de cerca de 80% do Tosk. Esta é a língua oficial do governo e da literatura. No entanto, nas últimas décadas, um movimento cresceu para preservar o Gheg literário.

Uma língua, vários alfabetos

Ao longo dos anos, a língua albanesa fez uso de vários alfabetos. Em um primeiro momento, o alfabeto árabe (padrão turco-otomano) foi usado, em outro, o cirílico (usado no idioma russo, por exemplo). Além disso, vários alfabetos locais, como Todhri, Elbasan e Veso Bey foram desenvolvidos. Houve também um período em que o dialeto Tosk usava o alfabeto grego e o Gheg utilizava o alfabeto latino.

Agora apenas um alfabeto

Hoje em dia o albanês-padrão usa seu próprio alfabeto. É essencialmente um alfabeto latino com algumas particularidades albanesas. Por exemplo, as letras ë, ç e nove pares de letras que formam caracteres separados do alfabeto: dh, gj, ll, nj, rr, sh, th, xh, zh.

Gramática complicada

Na gramática albanesa há cinco casos — substantivos, nominativos, genitivos, dativos, acusativos e ablativos. Embora os substantivos sejam em sua maioria do gênero masculino ou feminino, existem substantivos neutros raros que podem atuar como masculinos no singular e femininos no plural. Seu sistema verbal possui três pessoas, dois números, dez tempos verbais, duas vozes e seis modos.

A admiração é importante

Outro fato interessante sobre a gramática albanesa é que ela possui seis modos reservados para expressões de surpresa e admiração.

São formas verbais usadas apenas para surpresa ou espanto, alguns desses para expressar ironia. Por exemplo, “ti flet shqip” significa simplesmente “você fala albanês”, enquanto “ti fliske shqip” manifesta a admiração e surpresa de você estar falando albanês.


Original: 10 Interesting Facts about Albanian (em inglês)

Avance mais rápido com um professor

Aprenda idiomas online com um professor particular adequado ao seu orçamento e à sua agenda!

Ver todos os professores →
Compartilhar