Como são feitas as traduções de livros?

Como são feitas as traduções de livros?

Traduzir um livro estrangeiro não é um processo tão simples quanto parece, e você vai entender o motivo agora!

Como Stephen King disse uma vez, “Os livros são uma mágica excepcionalmente portátil”. E com certeza ele está certíssimo!

A leitura transporta para um tempo, local e mundo diferentes e, frequentemente, para uma nova maneira de pensar. Mas um tipo especial de magia está dentro de um livro de língua estrangeira.

Todo idioma tem características que soam de formas específicas. Então, todo livro tem seu próprio estilo e fluxo. E, mesmo quando lemos uma obra da literatura mundial traduzida para o português, o ritmo do idioma original geralmente se prolonga e cria uma experiência de leitura totalmente nova.

Os livros também podem nos ensinar muito sobre outras terras e culturas, fornecendo novas perspectivas e visões de mundo. Mas será que você sabe como funciona o processo de tradução de um livro estrangeiro?

Vamos explicar um pouco mais sobre as etapas que são necessárias para conseguir esse feito. Confira!

O que é necessário para traduzir um livro?

Antes de explicar sobre o processo e os requerimentos, é fundamental contextualizar algumas coisas antes.

De acordo com o portal Statista, o mercado global de traduções deve movimentar aproximadamente US$ 56,18 bilhões em 2021. Isso demonstra que a área tem bastante potencial e desperta o interesse cada vez mais de pessoas em traduzir obras.

Outro ponto é que o Brasil ser um dos países signatários da Convenção de Berna, que é a responsável pela proteção dos Direitos de Autor em todo o mundo. Em resumo, isso significa que, para conseguir traduzir qualquer livro, é necessário negociar os direitos de publicação diretamente com o detentor desse direito.

Na maioria dos casos, esse direito pode estar sob posse do autor, da editora ou de alguma fundação.

As 3 permissões que você precisa conquistar

Quando alguém demonstra interesse em traduzir uma obra estrangeira e apresenta essa vontade para uma editora, ela basicamente está passando por três avaliações diferentes:

Da obra: A empresa precisa acreditar que o livro escolhido realmente tem potencial e que é interessante o suficiente para ser incluída em seu catálogo.

Dos direitos autorais: Existem casos de editoras estrangeiras que não tenham representantes no território brasileiro ou que tenham processos burocráticos (ou caros) demais. Tudo isso pode inviabilizar a tradução de uma obra.

Das habilidades do tradutor: Mesmo que você consiga despertar o interesse da editora e ainda negociar os direitos autorais, ainda é necessário encontrar tradutores qualificados para o processo.

Como é o processo de solicitação para tradução?

Cada empresa pode trabalhar de uma forma única, mas em linhas gerais o processo de solicitação de tradução de uma obra estrangeira funciona assim:

Primeiro, apresente para as editoras uma cópia integral do livro original, junto com um informativo que define quem é o responsável pelos direitos da obra. Em seguida, apresente também uma justificativa sobre porque a obra em questão merece ser traduzida e porque ela seria importante para os leitores brasileiros.

Caso você tenha interesse em ser o tradutor, envie também um teste de no máximo um capítulo, para que o editor possa analisar seu potencial.

Você pode, também, indicar uma empresa especializada em traduções para participar do processo. Só então a editora vai analisar a proposta e aceitar (ou não) o projeto.

O processo de tradução

Depois de passar pela parte burocrática e conseguir o direito de traduzir um livro estrangeiro, se inicia a parte da tradução propriamente dita. Isso não significa que seja algo menos desafiador do que a etapa anterior.

Cada idioma possui elementos próprios, tanto no âmbito cultural quanto no fonético. É fundamental que o tradutor consiga adaptar as expressões e conceitos utilizados e ainda assim se manter fiel ao estilo do autor original, para que a mensagem da obra não seja alterada.

É graças a esses hábeis profissionais que os leitores brasileiros têm acesso às obras que, até então, seriam inacessíveis para grande parte da população. Esse é o caso, por exemplo, da famosa obra Odisseia, que foi traduzida diretamente do grego para o português.

De acordo com o tradutor oficial, Trajano Vieira, foi fundamental se manter atento aos termos navais que eram utilizados e também nas palavras compostas que estavam presentes. Tudo isso, sem perder a essência do original.

Outro bom exemplo é a tradução da saga Harry Potter, da escritora J.K Rowling. A obra é repleta de termos fantasiosos originais que ainda não possuíam nenhuma uma tradução oficial.

É nesse momento que é necessária a criatividade e as habilidades dos profissionais de tradução. Eles precisam ser capazes de transmitir as intenções originais do autor, ao mesmo tempo em que inserem o seu toque pessoal na obra.

Traduzir livros requer experiência

Como você pode ver acima, traduzir uma obra estrangeira não é uma tarefa simples e muito menos fácil. Por isso, é fundamental acertar na escolha do responsável por esse processo.

Caso você esteja cogitando buscar uma empresa especializada, lembre-se das seguintes perguntas quando passar pelo processo de consideração:

  • Qual será o preço total? Isso é garantido ou pode haver cobranças extras?
  • Quanta contribuição você terá no processo?
  • Você pode rejeitar uma tradução ou fornecer feedback?
  • Revise as letras miúdas e verifique se você tem todos os direitos de sua tradução;
  • O serviço que você usa possui um histórico de traduzir trabalhos semelhantes aos seus
  • Você tem um ponto de contato direto, seja o tradutor ou um representante do tradutor
  • Qual é o prazo para a tradução?
  • Qual é a reputação do serviço?

Como pode-se observar, traduzir um livro não é algo que você deva se apressar. É um processo que requer interpretação adequada e respeito ao conteúdo original.

Portanto, ao considerar a possibilidade de contratar um serviço especializado, nunca se esqueça de buscar por profissionais com experiência comprovada, seja na tradução de obras literárias ou na tradução juramentada de documentos, por exemplo.